domingo, 20 de dezembro de 2009

Necessidade...



"...Preciso conduzir um tempo de te amar, te amando devagar e urgentemente. Pretendo descobrir, no último momento, um tempo que refaz o que desfez. que recolhe todo sentimento e bota no corpo uma outra vez. Prometo te querer, até o amor cair doente, doente. Prefiro, então, partir a tempo de poder a gente se desvencilhar da gente. Depois de te perder, te encontro, com certeza, talvez num tempo da delicadeza. Onde não diremos nada, nada aconteceu... Apenas seguirei, como encantado, ao lado teu..."
(Chico)


Nenhum comentário: